Milagre na cela 7

Memo, um pastor deficiente e viuvo, vive com sua bisavó e sua filha, em uma vila na costa turca do mar Egeu durante o período do golpe de estado em 80. Ele sofre a força dos preconceitos e da discriminação quando é insultado. Louco, imbecil, idiota, deficiente, retardado,  não são qualidades; são expressões que definem seu ser.  Em 1983, o homem deficiente é acusado de ter matado à filha do comandante do exercito. Seda, a menina morta, escorrega de altas pedras e bate a cabeça em outras pedras submergidas. O militar jura vingança. Memo é torturado na prisão e obrigado a deixar registro escrito do crime, que não cometeu.  
Na cela , os colegas, também quebram seus ossos e quase o matam. Estes prisioneiros da cela 7, são fanaticamente contagiados, e acreditam agir em nome da própria justiça. Os vínculos foram transformados, na prisão Memo revela sua inocência, e a profunda relação paterna com sua filha, Ova. Memo foi condenado à morte, para que seu enforcamento seja um exemplo para à sociedade, inoculando terror e intimidação. Os prisioneiros planejam um encontro da filha com o pai na penitenciaria.
Como a cela lhe foi apresentada a esta menina, como se fosse um hospital, ela quer saber o que aconteceu com cada  prisioneiro. Os crimes são interpretados  como doenças que conclamam tratamento para talvez conquistar a recuperação.
Yusuf,  um prisioneiro culpado pela morte da própria filha sofre torturas horrendas no seu psiquismo. Comovido com a relação de Memo com a filha, decide dar sentido à sua vida e ser ele o enforcado para que Memo continue vivo, usufruindo da relação com  Ova, já que a bisavó morreu de ataque cardíaco. Pai e filha partem para o exílio.

Comentarista: Alicia Beatriz Dorado de Lisondo, Membro Efetivo e Analista Didata do GEPCampinas.

 

Data: 26 de julho de 2020, às 17 horas, pela Plataforma Zoom

 

Inscrições pelo telefone/WhatsApp 19 98264-2558, com Lais. 

 

Para esta atividade, o filme, que se encontra disponível na Netflix, deve ser assistido antecipadamente, sendo a discussão na data agendada, pela plataforma Zoom.

LOCALIZAÇÃO

 

Grupo de Estudos Psicanalíticos

de Campinas

Av. Francisco José de Camargo Andrade, 630

Jardim Chapadão - Campinas SP

☎️ (19) 9 8264.2558